25 de outubro a
3 de novembro de 2013
Centro Cultural e de
Exposição Ruth Cardoso
Marco Conceitual

O marco conceitual da VI Bienal Internacional do Livro de Alagoas, voltado para o entrelaçamento Portugal e Brasil, visa promover uma extensão das atividades iniciadas em 7 de setembro de 2012, Dia da Independência do Brasil, e encerradas em 10 de junho de 2013, quando se comemora o Dia de Portugal.

A forma mais significativa que encontramos para destacar esse elo entre os dois países foi dar ênfase aos trovadores portugueses, oriundos de um movimento que surgiu no Sul da França. Na época medieval, essa manifestação poética, na qual predominava o sentimento amoroso, era também acompanhada de música e de coro; os instrumentos presentes eram o alaúde, a flauta, a harpa ou a lira.

Partimos, portanto, dessa manifestação poética dos trovadores portugueses para fazer um trajeto que nos levaria à literatura de cordel, manifestação poética e popular cujas folhas eram presas a uma espécie de barbante ? cordel ? e expostas em feiras, nas ruas, em praças etc.

É esse trajeto de manifestações poéticas, do Trovadorismo ao Cordel, que ilustra a VI Bienal Internacional do Livro de Alagoas e nos leva a percorrer os mais diferentes caminhos das expressões culturais. E é também nessa perspectiva de percorrer diferentes caminhos que a diretora da Edufal, professora Stela Lameiras, criou o enunciado-chave da VI Bienal: descobrir nas palavras a magia dos sentidos.

Realização
Patrocínio
País Homenageado
Patrocínio Cultural
Gráfica Oficial
Apoio