Deprecated: mysql_connect(): The mysql extension is deprecated and will be removed in the future: use mysqli or PDO instead in /home/storage/1/42/b4/edufal/public_html/bienal2013/util/AbstractDb.class.php on line 88
Bienal 2013
25 de outubro a
3 de novembro de 2013
Centro Cultural e de
Exposição Ruth Cardoso
03/11/2013
Prêmio Lego de Literatura contempla autores alagoanos na 6ª Bienal
As categorias do prêmio são divididas em poesia, conto, romance e crônica

Silvia Shayline Leite – Jornalista

O “Prêmio Lego de Literatura”, que é um projeto de extensão que partiu da Faculdade de Letras (Fale/ Ufal) e tem a parceria da Edufal e Companhia de Empreendimentos, Intermediação e Parcerias de Alagoas (Cepal), através de sua editora, a Imprensa Oficial Graciliano Ramos recompensou seus finalistas nesta penúltima noite da Bienal.

Com o propósito de fomentar a literatura alagoana, a produção e a leitura, o prêmio chega à sua terceira edição com 11 títulos publicados e muita referência para na bagagem. A temática do livro precisa ser de Alagoas, assim como o autor que também pode ser radicado no estado.

Para esta terceira edição, a comissão julgadora foi mais do que especial, pois desde a sua primeira edição revela autores talentosos como a escritora Brisa Paim, que atualmente é um dos nomes da literatura internacional, pois sua obra “A Morte de Paula D” foi traduzida para espanhol e foi finalista em concursos nacionais, e convidou André Sant’anna para julgar a categoria contos e Ricardo Aleixo para poesia.

O presidente da comissão organizadora, Marcos Matias, comemora a realização desta premiação, que enfrentou vários desafios para acontecer, para ele, a edição foi bem sucedida e as dificuldades serviram de incentivo para melhoras. “Com base nos problemas que tivemos, estamos buscando melhoras para agilizar momentos como esses”, disse. Ele contou que o prêmio recebeu muitos elogios via redes sociais dos alunos da Fale, pois eles enxergam uma perspectiva de publicação para seus trabalhos.

Pela primeira vez como parceira, a imprensa oficial marcou presença durante a premiação. Janayna Ávila, representante da Imprensa Oficial falou sobre o compartilhamento deste evento. “Já havia um desejo de participar com a coedição desta premiação, pois é importante disseminar a literatura alagoana, que é de grande reconhecimento”, disse. A Cepal foi responsável pelo projeto gráfico, de Michel Rios e fotógrafos diversos de Alagoas, diagramação e revisão.

Stela Lameiras, diretora da Edufal, o premio Lego é muito importante por ser uma extensão da Ufal e que como responsável pela editora, ela avalia que “não há nada melhor do que as obras que se estendem além do muro da universidade”.

O professor e reitor Eurico Lôbo reconhece o talento dos autores e se compromete em não deixar essa premiação acabar, durante a solenidade disse: “Foi muito difícil mostrar a sociedade o quanto Alagoas possui bons autores e vamos manter esse prêmio para mostrar que podemos sim continuar promovendo boas obras”.

Os vencedores

Sangue na Lã: vencedor na categoria conto, do professor Miguel Saavedra, o livro foi escrito quando ele tinha 18 anos e só foi publicado agora. Com uma temática muito intimista e pessoal, retrata sobre a solidão.

Água de Chocalho: é o segundo livro da trilogia do Benedito Ramos, que retrata sobre uma cidade que forma no alto sertão alagoano e criada no capricho de um político local, o romance retrata o lado mais cruel da miséria humana, contada por Enedina, uma sobrevivente de uma enxurrada. O nome escolhido faz referência a uma cacimba que havia na região e tinha esse nome por causa de um chocalho que foi encontrado no fundo dela.

Dediquem-se à rasteira: crônicas baseadas no futebol alagoano e passeando pelo esporte como um todo e relatam as políticas dentro dos clubes, sejam com contratações, negociações etc. A autoria é de Thalles Gomes e o livro serviu como suporte para o filme do mesmo autor, que foca no centenário dos clubes alagoanos. A expressão “rasteira” ele faz uma alusão à obra de Graciliano Ramos, sobre o futebol ser um esporte de rasteira.

Das Coisas que Esquecemos pelo Caminho: Adalberto Souza aproveitou a solidão e fez dela poesia. Amores desfeitos, as pessoas que nos esquecemos durante nossa trajetória, que se esquece de nós por esquecer são algumas situações abordadas que promete revelar uma semelhança com as situações vividas por nós.

Realização
Patrocínio
País Homenageado
Patrocínio Cultural
Gráfica Oficial
Apoio